Manual

De EpidemicWiki
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

Apresentação

Desktop
Epidemic KDE default desktop.

O Epidemic GNU/Linux é um Sistema Operacional Livre, projetado para ser rápido, eficiente, moderno e, ao mesmo tempo, simples e fácil de usar. Ele é também uma distribuição Linux brasileira, desenvolvida de forma comunitária, cujo principal objetivo é o de levar o Software Livre, o Linux e o Debian, sua distribuição mãe, ao conhecimento do maior número de pessoas possível.


Epidemic-Debian
Uma observação importante a ser feita é a de que o Epidemic não pretende concorrer com o Debian. Ao contrário, o Epidemic se preocupa em manter compatibilidade total com sua distribuição mãe, o que lhe permite utilizar toda a gigantesca estrutura disponibilizada pelo Debian, concentrando seus esforços no polimento do sistema e no desenvolvimento de aplicações específicas para os usuários mais inexperientes, como o eInstaller, eAasyChannel, ePendrive, eSu, eNetwork, eUpgrade, eMorph, eMod. Por outro lado, muitos dos usuários que iniciam no mundo Linux pelo Epidemic, ao se tornarem mais experientes, acabam instalando também o Debian, o que demonstra a existência de uma relação benéfica para ambas as distribuições. Na verdade, o Debian é um projeto imenso que disponibiliza algumas dezenas de milhares de programas e dá suporte a uma vasta gama de arquiteturas, fornecendo aplicativos tanto para servidores quanto para desktops, já o Epidemic tem um alvo bem mais modesto: os desktops dos usuários iniciantes em linux.

Principais características

Dvd.png LiveDVD

O Epidemic é distribuído na forma de um LiveDVD. Todo o hardware do computador é automaticamente detectado e configurado com o Epidemic rodando direto do DVD e todos os programas que o acompanham, suíte de escritório, players de áudio e vídeo, jogos, web browsers, aplicações P2P e muito mais, podem ser utilizados diretamente do DVD, sem a necessidade de instalação.


Usb.png LiveUSB

Com o Epidemic também é possível criar, em apenas alguns minutos, um dispositivo LiveUSB, como um live pen drive, que pode ser usado da mesma forma que o LiveDVD, com a vantagem, ainda, de permitir ao usuário criar seu próprio MOD do Epidemic com uma ferramenta muito fácil de usar, desenvolvida pela equipe do Epidemic especialmente para isso: o eMod.


Display.png Visual moderno e agradável

O Epidemic vem com o que há de mais moderno em ambientes desktop, com todos os recursos do KDE 4, rodando direto do DVD, proporciona uma forma fácil e divertida de interagir com as janelas do sistema, fornecendo também velocidade e utilidade, além de alguns efeitos impressionantes.


EInstaller.png Instalador rápido e fácil de usar

O Epidemic pode ser instalado no computador, como qualquer outro sistema operacional. Com a ajuda do eInstaller, um instalador gráfico exclusivo do Epidemic, extremamente rápido e fácil de usar, qualquer usuário pode instalar o Epidemic, em apenas alguns minutos.


Emorph.png Instalador de meta pacotes

Pensando nos usuários mais inexperiente, o Epidemic disponibiliza um exclusivo instalador de meta pacotes, o eMorph que permite instalar conjuntos previamente selecionados de programas, maximizando as funcionalidades do sistema com apenas alguns cliques no mouse.


Wizard.png Instalador de aplicações especiais

O Epidemic possui também um exclusivo instalador de aplicações especiais, o eAsyChannel. Com ele a instalação de programas como Google Earth, Opera Browser, Alien Arena, Picasa, Skype, Virtualbox e muitos outros, pode ser feita de forma simples e rápida.


Eupgrade.png Sempre atualizado

O Epidemic vem, ainda, com o eUpgrade, mais uma de suas aplicações exclusivas, que permite aos usuários mais inexperientes manter o sistema atualizado de forma simples e rápida.


System.png Centro de controle unificado

O Epidemic, não possui um centro de controle separado que, quase sempre, acaba por duplicar funcionalidades que já se encontram presentes em outros aplicativos do sistema, como, por exemplo, no Systemsettings, o centro de controle do KDE. No Epidemic, os módulos de controle são sempre desenvolvidos para suprir funcionalidades ainda não existentes e incluídos no próprio Systemsettings.


Earth.png Internacionalização

O Epidemic possui suporte integral a internacionalização já tendo sido inclusive traduzido para o inglês o espanhol e o alemão que juntamente com o português podem ser escolhidos durante a inicialização do LiveDVD.


Community.png Desenvolvimento comunitário

O Epidemic é desenvolvido de forma comunitária, com o intuito de facilitar a vida dos novos usuários Linux. Cada um colabora quando e como pode, trabalhando como uma espécie de artesão que realmente gosta de sua atividade e com a certeza de que todas as suas colaborações serão reconhecidas pela comunidade e também lembradas pelo próprio sistema, através do eCommunity.

Obtendo o Epidemic

O Epidemic é distribuído sob a forma de um arquivo ISO que pode ser gravada diretamente em um DVD, utilizando programas como o Nero Burning Rom no Windows ou o K3B no Linux. Atualmente, a imagem ISO do Epidemic encontra-se hospedada no Ibiblio, a maior biblioteca pública de arquivos digitais do mundo, e pode ser baixada, gratuitamente, direto dos servidores do Ibiblio, ou de um dos vários espelhos relacionados na nossa página de downloads.

Download via FTP
Download via FTP.

Para fazer o download do Epidemic, basta clicar com o navegador em um dos ícones em forma de seta azul (versão estável) ou vermelha (versão beta), mas, devido ao tamanho do arquivo, que possue algumas centenas de megabytes, é aconselhável a utilização de um gerenciador de downloads com a capacidade de reiniciar downloads interrompidos como o KGet, no Linux ou o Internet Download Manager no Windows.

Download via Torrent

O Bittorrent é um dos protocolos p2p mais utilizados para o compartilhamento de arquivos na internet. A principal vantagem do Bittorrent é que quanto mais pessoas estiverem tentando baixar um arquivo, ao mesmo tempo, maior será a velocidade de download.

Os torrents do Epidemic ficam hospedados no Ibiblio Torrents, um projeto revolucionário do Ibiblio, que combina o que há de melhor no download via Bittorrent e FTP, pois possui um Permaseed, que garante um mecanismo estável, permanente e confiável de distribuição dos torrents, mesmo quando apenas uma pessoa estiver tentando baixar o arquivo.

Para fazer o download da imagem ISO do Epidemic pelo Bittorrent, primeiro clique no ícone em forma de seta azul (versão estável) ou vermelha (versão beta) na nossa página de downloads e faça o download do arquivo .torrent para uma pasta qualquer do seu computador.

Torrent
Epidemic download torrent.

Depois abra um cliente torrent como o Ktorrent (no linux) ou o mTorrent (no windows) vá a té o menu Arquivo -> Abrir, selecione o arquivo .torrent que foi baixado e clique em Ok para iniciar o download.

KTorrent
KTorrent.

Gravando seu primeiro LiveDVD

A gravação da imagem ISO do Epidemic é bem simples, mas requer alguns cuidados como a escolha de uma midia de boa qualidade e a gravação em baixa velocidade, para evitar os conhecidos erros de leitura que impedem o correto funcionamento do sistema.

Verificando a integridade da imagem ISO

Antes de gravar o Epidemic verifique se a soma MD5 da imagem ISO confere com o número informado na nossa página de downloads. Para verificar o valor da soma MD5 no linux, vá até a pasta em que a imagem ISO do Epidemic foi salva e digite o comando:

md5sum nome-do-arquivo.iso

que deverá retornar algo como

477504f499ab6c4cc08485ddb2084b54 nome_do_arquivo.iso

Se houver qualquer divergência entre a sequência numérica retornada pelo comando md5sum e a sequência numérica informada na página de downloads, é sinal que ocorreu algum erro durante o download e a imagem ISO está corrompida.

Utilize mídias de boa qualidade

Evite gravar o Epidemic em mídias de baixa qualidade ou em mídias regraváveis. Elas apresentam um elevado índice de erros de leitura, fazendo com que, em muitos casos, a cópia gravada simplesmente não funcione, apresentando erros como estes:

SQUASHFS error: Sb_bread failed reading block 0x6ccf9
SQUASHFS error: Unable to read fragmente cache block [1b330dfc]
SQUASHFS error: Unable to read page, block 1b330dfc, size d97e

Os erros do SQUASHFS podem ser causados basicamente por três fatores:

  • Imagem ISO incompleta ou corrompida;
  • Problemas no leitor de DVD;
  • Incompatibilidade da mídia (DVD riscado, danificado ou de baixa qualidade).

Dos três, o mais comum, sem sombra de dúvida, é que a mídia esteja com algum tipo de problema. De qualquer forma, os erros do SQUASHFS estão sempre relacionados, direta ou indiretamente, com problemas na imagem ISO, no DVD ou no hardware do computador e não com problemas do software em si, no caso o Epidemic GNU/Linux.

Gravadores

Qualquer que seja o gravador utilizado, procure sempre gravar as imagens ISO do Epidemic em baixa velocidade, para evitar a ocorrência dos já mencionados erros de leitura.

K3b (no Linux)

  1. Na tela principal do Programa clique em Ferramentas > Gravar Imagem de CD/DVD (conforme o caso);
  2. Escolha o arquivo que será gravado e a velocidade de gravação;
  3. Clique em "Gravar".


Easy CD Creator (no Windows)

  1. Abra o Easy CD Creator e clique em File > "Burn from Disc Image file";
  2. Escolha a imagem ISO de CD ou DVD que será gravada;
  3. Clique em "Burn" para gravar o CD/DVD.


Nero Burning Rom (no Windows)

  1. Abra o Nero e clique em File > "Burn Image";
  2. Escolha a imagem ISO de CD ou DVD que será gravada;
  3. Marque a opção "Finalize CD";
  4. Clique em "Burn" para gravar o CD/DVD.


DICA: Pode acontecer que, mesmo tendo sido tomados todos os cuidados no processo de gravação da imagem ISO, o sistema não funcione corretamente por um problema qualquer. Neste caso, um outro teste que pode ser feito é verificar novamente a soma MD5, mas desta vez do próprio DVD e não da imagem ISO. Para fazer isso, no Linux, supondo que o drive ótico seja o /dev/sr0, basta digitar o comando abaixo e verificar se a soma MD5 confere com a da página de downloads do Epidemic.

md5sum /dev/sr0

Configurando o computador para inciar pelo DVD

A maioria dos computadores atuais já vem configurado para iniciar primeiro pelo drive de DVD. Neste caso, basta colocar o DVD do Epidemic na bandeja do drive para que ele seja automaticamente executado durante o boot. Mas, se o seu micro não estiver configurado desta forma:

  1. Pressione a tecla DEL durante o boot para entrar no CMOS SETUP;
  2. Procure pela seção BOOT e coloque o DVD como a primeira opção de boot;
  3. Salve a configuração acessando o menu EXIT e escolhendo a opção "SAVE & EXIT SETUP".
  4. reinicie o micro com o DVD do Epidemic no drive, para que ele seja automaticamente executado.

Se não houver um DVD no drive, o computador volta a carregar o linux, ou qualquer outro sistema, que estiver instalado no HD. Esta alteração apenas faz com que ele passe a procurar primeiro no DVD.

O que fazer se o sistema não inicializar

O Epidemic deve ser capaz de inicializar sem nenhum problema na maioria dos computadores, detectando e configurando, automaticamente, todo o hardware da máquina. Mas, se por algum motivo, o LiveDVD do Epidemic não inicializar pela opção padrão, nem pela failsafe (última opção do menu do gerenciador de inicialização do Epidemic), ainda assim é possível tentar solucionar o problema alterando os parâmetros do kernel, com a utilização de algumas opções genéricas e outras específicas do Epidemic.

Para fazer isso, aperte a tecla "e", durante a apresentação do menu de inicialização do Epidemic (GRUB), para entrar em modo de edição, procure pela linha que começa com a palavra linux, remova a opção splash e vá adicionando os parâmetros seguintes para tentar solucionar o problema.

Parâmetros do kernel

  • noagp: Desativa o agp
  • nodma: Desativa o dma
  • noapic: Desativa o APIC, recurso utilizado para atribuir endereços de IRQ.
  • nolapic: Desativa o LAPIC, variação do APIC, utilizado em processadores multi-core.
  • acpi=off: Desativa o ACPI, recurso responsável pelo monitoramento da carga da bateria, ajuste da frequência do processador e outras funções importantes do sistema.
  • acpi=noirq: Desativa a utilização do ACPI para a atribuição de endereços.
  • nosmp: Desativa os demais nucleos em máquinas multi-core.
  • pci=biosirq: Utiliza a configuração de endereços definida pelo BIOS.
  • pnpbios=off: Desativa o suporte plug-and-play pela BIOS.
  • irqpoll: Modifica a forma como o sistema detecta os dispositivos da máquina.

Parâmetros exclusivos do Epidemic

  • nostart=service: Se o sistema travar durante a execução de um determinado serviço, como o cups (servidor de impressão), por exemplo, você pode tentar iniciá-lo mais uma vez, removendo a opção splash e acrescentando em seu lugar a opção nostart=cups. Desta forma o Epidemic irá completar o processo de boot sem tentar inicializar o cups.
  • debuginit: Se o problema estiver ocorrendo, em modo live, antes da montagem do sistema de arquivos principal, utilize a opção debuginit para fazer com que o script init do initramfs seja executado passo a passo, oferecendo após cada etapa um prompt de comando que pode ser utilizado para tentar solucionar o problema. Para sair dos prompt de comando e continuar o processo de boot basta apertar as teclas Ctrl + d.

Liberando o drive de DVD

Quando você estiver utilizando o LiveDVD do Epidemic em uma máquina que só possua um drive de DVD, pode achar muito interessante a opção toram que carrega todo o sistema na memória RAM, liberando o drive para ser usado para outra finalidade como, por exemplo, para rodar o DVD de algum filme ou um CD de música.

Para utilizar esta opção, o ideal é que o computador possua pelo menos 2GB de memória RAM, uma vez que quase 1 GB será utilizado apenas para o carregamento do sistema. Para habilitar a opção toram na inicialização do Epidemic basta seguir os seguintes passos:

  1. Coloque o LiveDVD do Epidemic no drive e inicie o computador;
  2. Quando aparecer a tela do gerenciador de boot (GRUB), aperte a tecla "e" para entrar em modo de edição;
  3. Acrescente no final da linha que começa pela palavra "linux" a palavra "toram";
  4. Pressione as teclas Ctrl + x para iniciar o sistema;
  5. Aguarde até o sistema ser carregado na memória, o que pode levar alguns minutos dependendo do computador;
  6. Quando o drive abrir, retire o DVD do Epidemic e aguarde a conclusão do processo de boot.

Salvando uma mídia

O Epidemic, possui a opção bootfrom que permite inicializar o sistema diretamente a partir da imagem ISO. Esta opção pode ser muito útil quando se quer testar o sistema sem a necessidade de gravar um DVD ou quando se quer instalar o Epidemic em uma máquina que não possua drive de DVD, como é o caso dos netbooks e nettops.

Para utilizar a opção bootfrom no Epidemic, a partir da versão 4.0 Beta 1, basta mover a imagem ISO para a pasta /boot/isos, ou criar um link para a imagem ISO dentro desta pasta e, depois, executar, como root o comando

# egrub update

Nas versões anteriores do Epidemic, ou em outras distribuições que utilizem o GRUB2 como gerenciador de boot, é preciso inserir uma entrada para a imagem ISO no arquivo /etc/grub.d/40_custom.

Supondo que imagem ISO do Epidemic tenha sido salva na pasta /home/usuario, que fica na partição sda5 formatada em ext2, ext3 ou ext4, para rodar o Epidemic, a partir da imagem ISO:

1. adicione a entrada abaixo no final do arquivo /etc/grub.d/40_custom da distribuição que possui o GRUB 2 controlando qual sistema é inicializado.

menuentry "Epidemic from ISO" {
set gfxpayload=800x600
insmod iso9660
insmod loopback
insmod ext2
loopback loop (hd0,5)/home/usuário/epidemic.iso
linux (loop)/boot/vmlinuz bootfrom=/dev/sda5/home/usuário/epidemic.iso locale=pt_BR tz="America/Sao_Paulo" quiet splash noeject vmalloc=256MB
initrd (loop)/boot/initrd.img
}

2. execute, como root, o comando

# update-grub

3. reinicie o computador e escolha no GRUB a nova entrada Epidemic from ISO que foi criada.

Criando um LivePendrive do Epidemic (ePendrive)

Com a ajuda do eInstaller, é muito fácil criar um LivePendrive do Epidemic. Basta seguir os seguintes passos:

  1. Inicie o computador pelo LiveDVD do Epidemic;
  2. Conecte um pendrive com pelo menos 2GB em uma das portas USB do computador;
  3. Abra o eInstaller;
  4. Marque a caixa de seleção LiveUSB;
  5. Escolha, no visualizador de partições do eInstaller, uma partição previamente formatada em ext2 ou reiserfs para a instalação do sistema (partição root);
  6. Clique no botão Instalar.


Particionamento

Ao contrário dos live pendrives criados pela maioria das distribuições os live pendrives do Epidemic podem ter várias partições e o sistema não precisa estar necessariamente instalado na primeira partição. Dessa forma, é possível criar uma pequena partição FAT32 no começo do pendrive que pode ser usada como uma partição de troca de arquivos com o Windows. Além disso, pode ser criada outra pequena partição no final do pendrive para ser usada como swap em micros com pouca memória RAM. Assim, para um pen drive de 2GB, por exemplo, poderia ser feito o seguinte particionamento para a criação do live pendrive:

  • Uma partição de 250MB formatada em FAT32 para troca de dados com o Windows;
  • Uma partição de 1.500MB formatada em ext2 ou reiserfs para o sistema (partição root);
  • Uma partição de 250MB formatada em linux-swap.

Trabalhando com o eGen

O eGen é uma aplicação desenvolvida para facilitar o download, o teste, a instalação e a distribuição do Epidemic.

Egen.png
eGen.


Uso:
egen [--help] [--version] [-b] [-d device] [-g device | auto]
[-h name] [-k mode] [-l locale] [-m mountpoint] [-p password] [-u user]
dvdmedia | liveinst | stdinst | isoentry | stdentry | lastinfo | lastiso
| lastiso | makeinfo | vmachine


Exemplos:

  • Para baixar a mais nova versão estável do Epidemic, já conferindo se todos os programas necessários estão disponíveis, se haverá espaço suficiente no HD e qual o melhor servidor para fazer o download da ISO.
$ ./egen lastiso


  • Para criar uma entrada para a ISO no sistema em que ela foi baixada, verificando antes, se o usuário tem permissão para isso, se todos os programas necessários estão disponíveis e a integridade da ISO.
# ./egen -i epidemic-4.0-2-amd64.iso isoentry


  • Para criar um LivePendrive do Epidemic, verificando se o usuário tem permissão para isso, se todos os programas necessários estão disponíveis, a integridade da ISO, se o dispositivo em que será criado o LivePendrive está vazio e possui espaço suficiente para a instalação.
# ./egen -d /dev/sdb2 liveinst


  • Para gravar um DVD do Epidemic
# ./egen dvdmedia


  • Para instalar o Epidemic no HD, via linha de comando
# ./egen -d /dev/sda5 -p root:rootpasswd stdinst


  • Para criar uma entrada para o Epidemic
# ./egen -d /dev/sda5 stdentry


Para criar uma máquina virtual, já configurada para rodar a ISO do Epidemic no VirtualBox

$ ./egen vmachine


DICA: Um detalhe importante é que tudo isso pode ser feito com o eGen rodando a partir da própria ISO do Epidemic, sem que ele precise sequer ser inicializado. Por exemplo, para criar um LivePendrive do Epidemic, a partir da ISO que acabou de ser baixada:

# mount -o ro epidemic-4.1-b1-amd64.iso /mnt
# /mnt/utils/egen -b lastinfo
# /mnt/utils/egem -b -d /dev/sdb2 liveinst

Ativando os efeitos do Kwin

Como o Epidemic pode ser incializado, em modo live, em computadores com as mais variadas configurações de hardware, os efeitos do Kwin, o gerenciaodr de janelas do KDE,ficam desabilitados por padrão, pois, em alguns casos, eles podem impedir o correto funcionamento do sistema.

Mas, para facilitar a ativação e aconfiguração desses efeitos pelo usuário, a Equipe do Epidemic desenvolveu um aplicativo chamado eKwin, que funciona de forma semelhante ao Fusion Icon, utilizado pelo Compiz, outro gerenciador de janelas muito conhecido no mundo open source.

Ekwin.png
eKwin, ícone para ativação dos efeitos do Kwin.

Se a placa de vídeo suportar os efeitos do Kwin, tudo que o usuário precisará fazer para ativá-los é clicar no ícone do eKwin, que fica na bandeja do sistema, próximo ao relógio. O ícone irá mudar para a cor verde indicando que os efeitos foram ativados. Clicando novamente sobre o ícone, ele volta para a cor cinza, indicando que os efeitos foram desativados.

Esta configuração permanece, mesmo após o encerramento da sessão. Assim, se os efeitos foram deixados ativados, da próxima vez que o usuário inicializar o Epidemic eles serão automaticamente ativados.

É possível, também, ativar ou desativar, apenas momentâneamente os efeitos, clicando com o botão do lado direito do mouse sobre o ícone do eKwin e escolhendo a opção Toggle kwin effects.

Por fim, clicando com o botão do lado direito do mouse sobre o eKwin e escolhendo a opção Configure será aberto o módulo de configuração dos efeitos da área de trabalho do KDE.


Kwin-configuration-module.png
Módulo de configuração do Kwin.

Alguns atalhos de teclado para os efeitos do Kwin

Cubo da área de trabalho Shift+ z (ou mouse no canto superior esquerdo da tela)
Grade da área de trabalho Ctrl + F8
Apresentar janelas Ctrl + F10 (ou mouse no canto superior direito da tela)
Próxima área de trabalho Deslocamento de uma janela até o lado direito da tela
Área de trabalho anterior Deslocamento de uma janela até o lado esquerdo da tela
Seguir o mouse Meta + Ctrl
Seletor de janelas Alt + Tab

Criando seu próprio MOD do Epidemic

Os live pendrives do Epidemic possuem uma funcionalidade muito interessante, que permite ao usuário salvar as alterações feitas no sistema. Com este recurso é possível criar, de forma muito fácil, um MOD do Epidemic, mudando os temas, instalando e removendo programas.

Para criar o seu próprio MOD do Epidemic:

  • Inicie o sistema pelo live pendrive;
  • Faça as alterações que desejar, mudando os temas, instalando ou removendo programas, incluindo arquivos de dados no live pendrive etc;
  • Abra o Menu do Epidemic, clique em Favoritos -> Configurações do Sistema -> ePendrive;
  • Marque o botão Mod, na caixa de edição digite um nome para o seu MOD, que será exibido no desligamento e inicialização do sistema e clique no botão Adicionar;


ePendrive-mod
ePendrive, módulo de controle.


É possível também exportar um MOD, selecionando-o na caixa de seleção e clicando no botão Exportar. Com isso, será criado um arquivo com a terminação .emod na pasta Desktop (área de trabalho) do usuário. Este arquivo pode ser enviado para seus amigos ou disponibilizado na internet para quem quiser testá-lo.

Para importar o MOD é só salvar o arquivo .emod na pasta Desktop do usuário e clicar no botão Importar. Depois que o MOD for importado ele pode ser utilizado selecionando-o na caixa de seleção e clicando no botão Aplicar.

Afinal qual é a senha do Epidemic

O Epidemic, quando roda em modo live (LiveDVD, LiveUSB), não possui senha de root. O eSu, uma aplicação exclusiva do Epidemic, se encarrega de fornecer os poderes de root ao usuário epidemic sempre que necessário. Mas, durante o processo de instalação do Epidemic, por razões de segurança, é solicitado o cadastramento de uma senha de root que passará a ser exigida toda vez que o usuário quiser realizar uma tarefa que precise de poderes de super usuário. Este comportamento padrão do Epidemic pode ser alterado através do módulo de controle do eSu no Systemsettings. Para acessá-lo, basta abrir o Menu do Epidemic e clicar em Favoritos -> Configurações do Sistema -> eSu.

ESu
eSu, módulo de controle.

No módulo de controle é possível escolher entre três formas diferentes para a autenticação do administrador do sistema:

  • Autenticação sem senha, utilizada por padrão em modo live;
  • Confirmação visual, modalidade na qual é exibida uma mensagem na tela solicitando a confirmação do usuário para a realização de tarefas que necessitam dos poderes de root;
  • Autenticação com senha, utilizada por padrão com o sistema instalado.
EPendrive
ESu-msg, confirmação visual.

DICA: Se por qualquer motivo o usuário quiser ou precisar criar uma senha de root com o Epidemic rodando em modo live, basta seguir o seguinte procedimento:

  1. Abra o Yakuake, apertando a tecla F12;
  2. Execute o comando su para logar-se como root;
  3. Execute o comando passwd para criar uma senha de root.

Alguns programas

O Epidemic vem com vários programas previamente instalados e configurados, os quais permitem aos usuários assistir filmes, ouvir músicas, navegar pela internet, trocar mensagens instantâneas com seus amigos, compartilhar arquivos, editar textos, confeccionar planilhas de dados e muito mais.

Os programas incluídos na ISO do Epidemic são distribuídos em diversas categorias que podem ser acessadas na aba Aplicativos do Menu do Epidemic.

Menu
Menu do Epidemic.


Escritório

O Epidemic já vem com o LibreOffice, uma suíte completa de produtividade para escritório, semelhante ao Microsoft(R)Office, previamente instalado. Com ele é possível criar documentos profissionais, elaborar planilhas, apresentações e muito mais.

Writer
Writer, processador de textos.
Impress
Impress, apresentação de slides.
Calc
Calc, editor de planilhas.


  • Writter, componente editor de texto do LibreOffice, semelhante ao Word.
  • Impress, componente de apresentações do LibreOffice, semelhante ao PowerPoint.
  • Calc, componente planilha eletrônica do LibreOffice, semelhante ao Excel.

Gráficos

O Epidemic vem com um conjunto de aplicações gráficas, previamente instalado, que permite aos usuários navegar, visualizar e compartilhar suas imagens e fotos de forma simples e rápida.

OKular
OKular, visualizador de documentos.
Gwenview
Gwenview, visualizador de imagens.
KSnapshot
KSnapshot, captura de tela.
  • O KSnapshot captura imagens da tela. Ele pode capturar a tela inteira, uma região determinada, uma janela individual, ou apenas parte de uma janela.
  • O Gwenview é um visualizador de imagens ideal para navegar e exibir uma coleção de imagens. Ele é capaz de mostrar imagens em uma exibição de slides em tela cheia e fazendo ajustes simples, como rotação ou recorte de imagens.
  • O Okular é um visualizador de documentos universal com suporte para recursos avançados de documentos, tais como anotações, formulários e arquivos embutido.

Internet

O Epidemic vem com uma vasta gama de programas para internet, como clientes de e-mail, mensageiros eletrônicos multi protocolo, navegadores web, gerenciadores de download, clientes para baixar arquivos torrents e muito mais.


Iceweasel
Iceweasel, navegador web.
Kopete
Kopete, mensageiro instantâneo multi protocolo.
KMail
KMail, client de e-mail.


  • O KMail é um cliente de e-mail cheio de recursos que se encaixa muito bem ao desktop KDE. Tem características como suporte para IMAP, POP3, várias contas, filtragem e classificação de e-mail, PGP/GnuPG privacidade e anexos inline.
  • O Kopete é uma aplicação de chat e mensagens instantâneas com suporte a uma ampla variedade de serviços, tais como AIM, Yahoo, ICQ, MSN e Jabber. Recursos avançados e protocolos adicionais estão disponíveis como plug-ins.
  • O Iceweasel é um navegador web baseado no código-fonte do Firefox, um reprojeto do componente de navegação do Mozilla, similar ao Galeon, K-Meleon e Camino, mas escrito utilizando a linguagem de interface de usuário XUL e projetado para ser leve e multiplataforma.

Jogos

A imagem ISO do Epidemic já traz, por padrão, alguns jogos como o KBreakOut e o KBlocks, mas muitos outros jogos podem ser instalados facilmente em conjunto, pela opção Games do eMorph, ou individualmente pelo eAsy Channel ou apt-get.


KPatience
KPatience, jogo de cartas.
KBlocks
KBlocks, jogo tipo tetris.
KBreakOut
KBreakOut, jogo tipo breakout.
  • O KBreakOut é um jogo similar aos clássicos breakout e xboing, apresentando uma série de melhorias gráficas e efeitos adicionais. Você controla uma raquete na parte inferior do campo de jogo, e deve destruir os tijolos na parte superior jogando bolas contra eles.
  • O KBlocks é um jogo single player, do tipo quebra-cabeça de queda de blocos, uma substituição, no estilo Tetris, para KSirtet.
  • O KPatience é uma coleção de quatorze jogos de cartas do tipo solitaire, incluindo Klondike, Spider e FreeCell.

Multimidia

O Epidemic vem com reprodutores de áudio vídeo muito versáteis e simples de usar. Com eles é possível reproduzir praticamente qualquer tipo de arquivo multimídia

VLC
VLC, media player.
K3b
K3b, gravação de discos.
Amarok
Amarok, reprodutor de áudio.


  • O K3b é uma interface de usuário confortável para realizar a maioria das tarefas de gravação de CD/DVD. Enquanto o usuário experiente pode adaptar todos os passos do processo de gravação o iniciante vai se sentir confortável com as configurações automáticas e os padrões razoáveis do k3b que facilitam um início rápido.
  • O VLC é um poderoso media player, com suporte para arquivos nos formatos MPEG, MPEG-2, MPEG-4, DivX, MOV, WMV, QuickTime, WebM, FLAC, MP3, Ogg/Vorbis, DVDs, VCDs, podcasts, e multimídia streams a partir de várias fontes.
  • O Amarok é um poderoso reprodutor de música com uma interface intuitiva. Ele faz com que tocar as músicas que você ama e descobrir novas músicas seja mais fácil do que nunca e ele faz isso bem! Amarok é baseado na poderosa plataforma Qt4/KDE4 e integra-se agradavelmente com a área de trabalho KDE.

Rodando aplicações do Windows no Epidemic

Atualmente quase todas as aplicações desenvolvidas para o Windows possuam similares nativas para o Linux, como, por exemplo o LibreOffice que substitui o Office do Windows, pode ser que o usuário queira utilizar alguma aplicação nativa do Windows, como, por exemplo algum jogo o Epidemic vem com o Wine e o PlayOnLinux previamente instalados. Com esses eles é possível rodar muitos programas desenvolvidos para o Windows diretamente no Epidemic.

PlayOnLinux
PlayOnLinux, Wine front-end.

Para utilizar o PlayOnLinux, basta ir no Menu do Epidemic, em Aplicativos -> Jogos -> PlayOnLinux.

Configurando o sistema

Muitas distribuições linux costumam criar um centro de controle próprio para a configuração do sistema, mas, quase sempre, este novo centro de controle acaba duplicando funcionalidades que já se encontram presentes em outros aplicativos, como, por exemplo no Systemsettings, o centro de controle do KDE. No Epidemic, todos os módulos de controle são desenvolvidos para suprir funcionalidades que ainda não estão presentes no sistema e são acrescentados ao próprio Systemsettings permitindo ao Epidemic possuir um Centro de Controle Unificado.

Systemsettings
Systemsettings, o centro de controle unificado do Epidemic e KDE.

Para utilizar o Systemsettings e os módulos de controle criados pela Equipe do Epidemic, basta clicar no Menu do Epidemic e, depois, em Favoritos -> Configurações do sistema.

Configurando o sistema pelo terminal

Há apenas alguns anos atrás, muitas configurações no linux precisavam ser feitas digitando comandos em um terminal. Mas como a evolução do Software Livre é muito rápida, hoje em dia quase todas as configurações podem ser feitas com a ajuda de aplicações gráficas ou nem sequer precisam ser feitas pelo usuário, pois o próprio sistema se encarrega de detectar todo o hardware do computador e de configurá-lo automaticamente. No entanto, a opção de utilização do terminal continua disponível no Epidemic, até mesmo porque os usuários mais experientes muitas vezes preferem utilizar o terminal para a configuração do sistema, pela sua maior agilidade e flexibilidade. Para acessar um dos seis terminais gráficos no Epidemic, basta apertar as teclas Ctrl + Alt + F1 a F6, além disso o Epidemic traz também o Konsole que fica no Menu do Epidemic, em Programas → Sistema → Konsole e o Yakuake, que pode ser acessado com um simples clique na tecla F12.

Yakuake
Yakuake: virtual console.

Além dos comandos que estão disponíveis para a configuração do sistema na maioria das distribuições, como o apt-get, adduser, ifconfig etc, o Epidemic possui, também, um conjunto de programas exclusivos que podem ser utilizadas no terminal, tais como o eaptsrc, elocale, euser etc. Todas as aplicações exclusivas do Epidemic possuem uma página de manual que pode ser acessada com o comando man, como no exemplo abaixo:

$ man elocale

NAME
       elocale - Tool to configure locale in Epidemic GNU/Linux.

DESCRIPTION
              elocale

              Tool to configure locale in Epidemic GNU/Linux.

              Usage: elocale [--help] [--version] [-l <locale>] configure

              Options:

       --help show this help

       -l     locale  [pt_BR en_US es_ES de_DE]

       --version
              show Version

              Commands:

       configure
              Configure locale [pt_BR en_US es_ES de_DE]

              elocale was written by James Benedito de Oliveira <jamesbenedito@epidemiclinux.org>.

              Copyright  (C) 2011 James Benedito de Oliveira <jamesbenedito@epidemiclinux.org>.
              This free software program is distributed in the hope that it will be useful, but 
              WITHOUT ANY WARRANTY; without even the implied warranty of MERCHANTABILITY or FITNESS
              FOR A PARTICULAR PURPOSE.  See the GNU General Public License for more details.

              Please report bugs to bugs@epidemiclinux.org.

              elocale 0.0.2011.05.04

SEE ALSO
       The full documentation for elocale is maintained as a Texinfo manual.
       If the info and elocale programs are properly installed at your site,
       the command

              info elocale

       should give you access to the complete manual.

eaptsrc

Uso:
eaptsrc [--help] [--version] [-c <component>] [-d <distribution>] [-s <server>]
[-u <URI>] configure | add | remove


O eaptsrc pode ser utilizado para configurar os servidores padrões de pacotes de programa, de acordo com a localização do sistema e também para remover ou adicionar novos repositórios.


  • Para mudar o servidor padrão basta indicar o código do país em que o servidor se encontra
# eaptsrc -s us configure


  • Para acrescentar um novo repositório é preciso indicar a URI do servidor, a distribuição (stable, testing, unstable, experimental) e os componentes desejados (main, contrib, non-free), estes últimos separados por vírgulas
# eapt-src -u http://www.debian-multimedia.org -d wheezy -c main,non-free add


  • Para remover um repositório basta indicar a URI do repositório e distribuição
# eaptsrc -u http://www.debian-multimedia.org -d wheezy remove

ekdm

Uso:
ekdm [--help] [--version] [-a <false | true>] -n [name] [-r <false | true>][-t <false | true>]
[-u user] backup | configure | restore


O ekdm permite alterar as configurações padrões do KDM, o gerenciador de login do KDE. Antes de modificar as configurações, pode ser feito um backup das configurações atuais com o comando

# ekdm backup


Assim, se alguma coisa sair errada, é possível voltar à configuração anterior com o comando

# ekdm restore


  • Para habilitar o login automático
# ekdm -a true configure


  • Para desabilitar o login automático
# ekdm -a false configure


  • Para mudar o tema do KDM
# ekdm -n Epidemic configure


  • Para permitir o login como root
# ekdm -r true configure


  • Para impedir o login como root
# ekdm -r false configure


  • Para habilitar a utilização de temas
# ekdm -t true configure


  • Para desabilitar a utilização de temas
# ekdm -t false configure

elocale

Uso:
elocale [--help] [--version] [-l <locale>] configure


O elocale permite alterar automaticamente a localização do sistema entre pt_BR, en_US, es_ES ou de_DE.


  • Para alterar as configurações de localização
# elocale -l de_DE configure

euser

Uso:
euser [--help] [--version] [-u <user>] add | del


O euser permite remover ou adicionar novos usuários, como os mesmos poderes do usuário padrão do sistema (epidemic).


  • Para adicionar um novo usuário
# euser -u pedro add


  • Para remover um usuário existente
# euser -u pedro del

exorg

Uso:
exorg [--help] [--version] [-x <driver>] start | stop | restart | configure | clone <file> |
restore | debug


O exorg pode ser utilizado para configurar o Servidor X.


  • Para parar o Servidor X
# exorg stop


  • Para iniciar o Servidor X
# exorg start


  • Para reiniciar o Servidor X
# exorg restart


  • Para autoconfigurar automaticamente o Servidor X
# exorg -x auto configure


O exorg sempre cria um backup do arquivo de configuração do Servidor X antes de realizar qualquer alteração. Assim, se ocorrer algum problema com a autoconfiguração e você quiser voltar para a configuração anterior, é só executar o comando

# exorg restore


  • Para configurar o Servidor X com um driver específico
# exorg -x vesa configure

egrub

Uso:
egrub  [--help]  [--version] [-C <command line>] [-d <drive>] [-D <default entry>] [-p <partition>] [-R <resolution>] [-t <theme>]
[-T timeout] configure | einstaller | install | restore | update


O egrub é a ferramenta do Epidemic para a configuração do GRUB. Além de permitir a completa configuração do GRUB, ele possui alguns outros recursos muito interessantes, como uma opção para restaurar o GRUB de uma determinada partição do HD, mesmo com o sistema rodadno a partir de um LivePendrive ou LiveDVD.


  • Para restaurar o GRUB do sistema instalado na partição /dev/sda5
# egrub -p /dev/sdb5 restore


  • Para instalar o GRUB na MBR do HD sda
# egrub -d /dev/sda install


  • Para atualizar o menu do GRUB
# egrub update


  • Para mudar o tema do GRUB
# egrub -t novo-tema cconfigure


Para mudar o sistema que será inicializado por padrão

# egrub -D 2 configure

Instalação

Embora o Epidemic seja capaz de rodar direto do DVD, ele também pode ser instalado com a ajuda do eInstaller , um instalador gráfico exclusivo, desenvolvido pela Equipe do Epidemic, que se destaca por ser muito rápido e fácil de usar. Com o eInstaller, qualquer pessoa pode instalar o Epidemic, em apenas alguns minutos.

eInstaller.
eInstaller: instalador do Epidemic GNU/Linux.

Para instalar o Epidemic:

  1. Escolha, no visualizador de partições do eInstaller, uma partição formatada e vazia para o sistema (partição root);
  2. Digite as senhas que serão usadas pelo usuário (epidemic) e pelo administrador (root);
  3. Clique em instalar.

O processo de instalação poderá ser acompanhado por uma barra de progresso. Após alguns minutos, a instalação será concluída e o sistema já estará pronto para ser usado, sem que para isto seja necessária qualquer outra intervenção do usuário.


Opções

  • Partição home

Permite escolher uma partição separada para armazenar dados (partição home). Isto é muito útil, pois se for preciso reinstalar o Epidemic, os dados da partição home serão preservados.

Para escolher uma partição home separada, basta selecioná-la no visualizador de partições do eInstaller.

  • Alterar o nome do usuário

Permite mudar o nome da conta de usuário que será criada. Por padrão o eInstaller, além da conta do administrador do sistema (root), cria também uma conta de usuário comum (epidemic).

Para mudar o nome da conta de usuário, altere o nome epidemic na caixa de edição do eInstaller.

  • LiveUSB

Permite criar, em poucos minutos, o live pen drive do Epidemic

Para criar um live pen drive, marque a opção LiveUSB no menu Configurações do eInstaller, selecione uma partição no pen drive para a instalação do sistema e clique em Instalar.

  • Salvar alterações

Permite salvar as alterações feitas no Epidemic antes do início da instalação.

Para salvar as alterações, marque a opção Salvar alterações no menu Configurações.

  • Expert

Se você é um expert em Linux, pode querer escolher outros pontos de montagem além do root e home, para aumentar a segurança do sistema ou para incrementar sua praticidade.

Para ter acesso a outros pontos de montagem, marque a opção Expert no menu Configurações.

  • GRUB

Permite escolher em qual drive o GRUB (GRand Unified Bootloader) vai ser instalado.

Selecionando a opção Auto o GRUB será instalado na MBR do primeiro drive na sequencia de boot (opção padrão). Escolhendo a opção Não instalar o GRUB não será instalado, mas, neste caso, será preciso criar, uma entrada para o Epidemic no gerenciador de boot que estiver na MBR do primeiro drive na sequencia de boot do computador, para poder inicializar o Epidemic.

  • Computador

Permite mudar o nome padrão do computador (ebox). Esta opção é muito útil quando o computador faz parte de uma rede.

Para mudar o nome do computador, altere o nome ebox na caixa de edição do eInstaller.

  • Linguagem

Permite escolher com qual linguagem o sistema será instalado. Por padrão o eInstaller instala o sistema com a linguagem escolhida durante a inicialização. Mas é possível alterar a linguagem para qualquer uma das suportadas pelo Epidemic (pt_BR, de_DE, es_ES ou en_US).

Para instalar o sistema com uma linguagem diferente da escolhida na inicialização, selecione a opção desejada na caixa de seleção do Einstaller.

Particionamento

Caso seja preciso criar uma partição para a instalação do Epidemic, o eInstaller conta com a ajuda de um particionador gráfico, que pode ser lançado, clicando-se no botão Particionador. Tecnicamente o Epidemic pode ser instalado em uma única partição com pelo menos 2 GB de espaço livre, mas é recomendável a utilização de três partições:

  • uma partição root para a instalação do sistema;
  • uma partição home para armazenar os dados dos usuários
  • uma partição swap, para troca de dados em computadores com pouca RAM.

Quanto aos sistemas de arquivos, para as duas primeiras partições é recomendada a formatação em ext4, já a terceira partição deve ser formatada como linux-swap.

Alterando as funcionalidades do sistema

O Epidemic possui uma aplicação exclusiva chamada eMorph que funciona como uma segunda etapa no seu processo de instalação, permitindo aos usuários instalar ou remover conjuntos selecionados de programas, estendendo ou reduzindo as funcionalidades do sistema com apenas alguns cliques do mouse.

eMorph
eMorph: instalador de metapacotes.

Para utilizar o eMorph, basta ir no Menu do Epidemic, em Favoritos -> eMorph, marcar as funcionalidades que você quer que sejam instaladas, desmarcar as que você quer que sejam removidas e clicar em Aplicar

Uma observação importante, é a de que os conjuntos de programas do eMorph podem ter facilmente mais de 100 MB, por isso a instalação de determinadas funcionalidades pode demorar algum tempo, dependendo da velocidade da conexão com a internet.

DICA: Depois da instalação de uma determinada funcionalidade todos os seus pacotes ficam armazenados na pasta /var/cache/apt/archives, por isso se você não remover este pacotes, poderá, a qualquer momento, remover ou reinstalar uma determinada funcionalidade, de forma muito rápida.

Instalando programas com apenas alguns cliques no mouse

Algumas pessoas, que ainda não conhecem bem o Linux, podem pensar que ele é um sistema complicado no qual somente usuários experientes conseguem instalar os programas que desejam, digitando comandos obscuros em um terminal. Certamente estas pessoas vão se surpreender quando perceberem como é fácil instalar programas com o auxílio do Synaptic, um instalador gráfico de pacotes que está disponível no Menu do Epidemic, em Aplicativos -> Sistema -> Gerenciador de pacotes.


Synaptic
Synaptic: instalador gráfico de programas.

Para instalar ou remover um programa com o Synaptic, basta digitar o nome do programa no campo Filtro rápido, clicar com o botão do lado direito do mouse sobre o nome do programa que irá aparecer no Seletor de pacotes, escolher a opção Marcar para instalação ou Marcar para remoção e clicar no botão Aplicar.

Instalando programas especiais com o eAsyChannel

O Synaptic é a ferramenta ideal para a instação dos milhares de programas que estão disponíveis nos repositórios oficias do Debiam. Alguns programas, entretanto, por diversos motivos, como, por exemplo, restrições impostas pela licença, não podem ser distribuídos pelo Debian, mas podem ser baixados diretamente pelo usuário final. Para estes casos específicos o Epidemic conta com uma ferramenta exclusiva, o eAsyChannel, um instalador gráfico de pacotes especiais (restritos, complexos, fontes), que está disponível no Menu do Epidemic, em Aplicativos -> Sistema -> Instalador de pacotes especiais.


eAsyChannel
eAsyChannel: instalador de aplicativos.

Para instalar ou remover as aplicações disponibilizadas pelo eAsyChannel, basta selecioná-las para instalação ou remoção, clicando nos ícones em forma de pacotes amarelos e, depois, clicar em Aplicar. Todos os pacotes selecionados começarão a ser instalados ou removidos e o usuário poderá acompanhar o processo de instalação por uma janela de progresso.

Mantendo o sistema atualizado

O Epidemic possui uma aplicação exclusiva para a atualização do sistema, em modo gráfico, chamada eUpgrade, que pode ser acessada no Menu do Epidemic, em Favoritos -> eUpgrade.

eUpgrade
eUpgrade: ferramenta de atualização do sistema.


A primeira coisa que o eUpgrade faz ao ser inicializado é atualizar as informações sobre os pacotes disponíveis e exibi-las, como no screenshot acima. Se estiver de acordo com as alterações que serão realizadas, o usuário só precisa clicar em OK para que o processo de atualização comece.


Atualização solidária

O Epidemic utiliza os repositórios oficias do Debian Testing que possuem uma estabilidade muito boa, mas em alguns casos, principalmente quando o usuário instala pacotes de outras verões do Debian( Stable, Unstable, Experimental) ou de fontes não oficiais, problemas de dependência e bugs inesperados, podem atrapalhar o processo de atualização. Para contornar a complexidade do processo de atualização das distribuições linux atuais, a Equipe do Epidemic concebeu uma forma solidária de promover a atualização do sistema, baseada em avisos de atualização.

A idéia é que todos os usuários do Epidemic façam a atualização em um mesmo período de tempo, dessa forma, caso ocorram dificuldades, os usuários poderão recorrer ao forum e às demais formas de suporte do Epidemic, para compartilhar informações e tentar resolver o problema. Os aviso de atualização são recebidos pelos usuários através da mudança do ícone do eUpgrade que fica na bandeja do sistema, próximo ao relógio.

eUpgrade-icon
Icone do eUpgrade no systray.

O ícone do eUpgrade pode assumir uma das seguintes formas, de acordo com o grau de segurança esperado para a atualização do sistema.

Eupgrade-allow.png A Equipe de Desenvolvimento do Epidemic realizou com sucesso uma atualização do sistema, por isso o processo de atualização está disponível pelo eUpgrade e é recomendável que todos os usuários façam a atualização nos próximos 10 dias.

Eupgrade-warn.png‎ Já se passaram mais de 10 dias desde que a última atualização foi realizada pela Equipe de Desenvolvimento, por isso, embora o processo de atualização continue disponível pelo eUpgrade, ele não é mais recomendável.

Eupgrade-deny.png Uma quebra durante o processo de atualização foi verificada pela Equipe de Desenvolvimento ou reportada por algum usuário, por isso o processo de atualização pelo eUpgrade não será liberado, enquanto o problema não for resolivido.

Eupgrade-new.png Uma nova versão do Epidemic foi lançada sendo recomendável que todos os usuários façam o upgrade para a nova versão.

DICA: O eUpgrade atualmente realiza o processo de atualização em modo gráfico, mas, dependendo dos pacotes que serão atualizados, a conclusão da atualização precisará ser feita necessariamente em modo texto, neste caso o eUpgrade pode agendar uma nova atualização para ser feita durante a próxima iniciailização do Epidemic. Por isso, se depois de uma atualização do sistema pelo eUpgrade, o Epidemic estiver demorando muito para inicializar, aperte a tecla Esc, para visualizar as mensagens de boot, pois, em alguns casos, pode ser necessária a intervenção do usuário para a conclusão da atualização.

Atualizando o sistema pelo terminal

O eUpgrade foi desenvolvido pensando nos usuários mais inexperientes. Ele tenta resolver automaticamente os problemas que podem ocorrer durante a atualização do sistema e utiliza, sempre que possível, as configurações padrões para todos os pacotes. Os usuários mais experientes, entretanto, podem preferir realizar a atualização pelo modo tradicional, utilizando o apt-get que oferece mais informações e um maior controle sobre as mudanças que serão realizadas no sistema durante a atualização. Para atualizar o Epidemic utilizando apt-get, basta executar o seguinte procedimento:

1 - Aperte as teclas Ctrl + Alt + F1 para ir para o primeiro terminal, logue-se como root e execute o comando exorg stop, para fechar o modo gráfico;

# exorg stop

2 - Execute o comando apt-get update, para atualizar a lista de pacotes disponíveis;

# apt-get update

3 - Execute o comando apt-get dist-upgrade e verifique a lista de pacotes que serão atualizados, mantidos em sua versão atual, instalados e removidos. Se estiver tudo certo, aperte a tecla s para inciair a atualização do sistema;

# apt-get dist-upgrade

4 - Quando a atualização terminar, execute o comando exorg restart, para retornar ao modo gráfico

# exorg restart

Desenvolvimento comunitário

O Epidemic é um projeto ainda pequeno, mas que já nasceu cheio de vigor e de novas ideias. Ele é também um projeto comunitário que precisa da colaboração de todos para acelerar seu processo de desenvolvimento. O Epidemic tem uma proposta diferente em relação ao seu processo de desenvolvimento. Ele não é e nem pretende ser uma empresa, com uma estrutura hierarquizada, na qual, quase sempre, muitas pessoas trabalham e apenas algumas levam os lucros e os créditos. Ao contrário, o Epidemic é desenvolvido de forma comunitária. Cada um colabora quando e como pode, trabalhando como uma espécie de artesão que realmente gosta de sua atividade e com a certeza de que todas as suas colaborações serão reconhecidas pela comunidade e lembradas pelo próprio sistema, através do eCommunity, um programa desenvolvido pela Equipe do Epidemic, que tem por objetivo dar os devidos créditos a quem, de qualquer forma, contribui com o projeto, fortalecendo, dessa forma, os laços comunitários.


Formas de colaboração

Existem muitas maneiras de colaborar com o Epidemic:

  • Se você sabe programar em C/C++, pode desenvolver uma aplicação específica para o Epidemic, como o eInstaller, eAse Channel, ePendrive, eSu, eNetwork, eMorph, eUpgrade;
  • Se sabe bash script, pode criar uma tarefa para o eAsy Channel, facilitando ainda mais a vida dos usuários inexperientes;
  • Se sabe inglês ou espanhol, pode ajudar com as traduções do Epidemic, que é feita de forma comunitária na nossa página wiki;
  • Se possui habilidades gráficas, pode ajudar criando wallpapers e temas para o GRUB, Plymouth, Kdm e KSplash;
  • Se é um usuário linux experiente, pode ajudar os novatos, compartilhando seu conhecimento no nosso Forum;
  • Se tem apenas boa vontade, pode colaborar divulgando o Epidemic nos blogs e foruns que frequenta;


Na verdade, você pode contribuir muito com o Epidemic simplesmente baixando o sistema e informado no forum como foi o seu download, instalação e utilização. Suas sugestões e críticas sinceras serão sempre muito bem-vindas. Elas são indispensáveis para que possamos corrigir os problemas existentes, ajustar os rumos do projeto e preparar o terreno para o lançamento das próximas versões.


Cobrando seus créditos

Para cobrar os merecidos créditos por qualquer contribuição que você tenha dado para o Epidemic, é só enviar um email com os dados abaixo para <jamesbenedito at epidemiclinux.org>. Opcionalmente, você pode enviar também uma foto ou avatar no formato 120x150 pixels.

Nome="Seu nome"
Nacionalidade="Sua nacionalidade"
Aniversário="Sua data de aniversário"
email="seu email"
contribuições="
Suas contribuições
Uma por linha"

Equipe de Desenvolvimento

No momento em que esta versão do manual foi escrita a Equipe de Desenvolvimento do Epidemic era composta pelos seguintes integrantes


BR.png James Benedito de Oliveira

Criador e desenvolvedor líder do projeto <jamesbenedito at epidemiclinux.org>


BR.png atf

Suporte <atf at epidemiclinux.org>


BR.png Fabio Farias da Costa

Documentação <fabio at epidemiclinux.org>


BR.png Guilherme Soares da Silva

Designer gráfico <guilherme at epidemiclinux.org>


PT.png João Teixeira

Marketing <joao at epidemiclinux.org>


UY.png Miguel Angel Posada Machado

Tradução do Epidemic para o espanhol <miguel at epidemiclinux.org>


BR.png Otto R. Heredia de Sá

Tradução do Epidemic para o inglês <otto at epidemiclinux.org>


BR.png Paulo Corrêa

Designer gráfico <paulo at epidemiclinux.org>


BR.png Renato Batistetti

Marketing <renato at epidemiclinux.org>


BR.png Ricardo Moreira Braz do Nascimento

Documentação e marketing <ricardo at epidemiclinux.org>


BR.png Roberto Wagner de Souza

Marketing <roberto at epidemiclinux.org>


BR.png Tiago Esteves Vieira

Desenvolvimento e administração do site <tiago at epidemiclinux.org>


BR.png Tovarishch

Tradução do Epidemic para o inglês <tovarishch at epidemiclinux.org>


De.png Ulrich Beckmann

Tradução do Epidemic para o alemão <bequimao at epidemiclinux.org>


Mas é importante lembrar que o Epidemic é um projeto desenvolvido de forma comunitária e qualquer pessoa que possua um pouco de tempo livre e algum conhecimento pode solicitar sua inclusão na Equipe, postando uma mensagem no forum do Epidemic.

Autores

Como não poderia deixar de ser, já que o Epidemic é uma distribuição comunitária, esta também é uma obra coletiva e todos que contribuírem com o aprimoramento e ampliação do manual serão listados como co-autores.

  1. James Benedito de Oliveira <jamesbenedito at epidemiclinux.org>

Agradecimentos

Agradecemos a todos, mesmo aos desconhecidos, que, de qualquer forma, nos ajudaram a alcançar este objetivo, pois sabemos que, sem esse infinito entrelaçar de mãos, nada seria possível.

Versão

Versão 41b1, baseada no Epidemic GNU/Linux 4.1 Beta 1. A versão mais atualizada desse manual pode ser encontrada na Wiki do Epidemic.

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas