Epidemic GNU/Linux

Instalação

Instalação

 

Embora o Epidemic GNU/Linux seja capaz de rodar direto do CD/DVD, ele também pode ser facilmente instalado com a ajuda do Einstaller o que, além de melhorar o desempenho do sistema, tornando-o nitidamente mais rápido, possibilita também a sua personalização e a instalação de novos  progamas.

Instalação do Epidemic 3.0

Einstaller, é o novo instalador gráfico desenvolvido pela equipe do Epidemic, que se destaca por ser muito rápido e fácil de usar. Com ele, você pode instalar o Epidemic em seu computador, ou criar um live pen drive do Epidemic,  em apenas alguns minutos.

einstaller.png

computer.png Computador

Para instalar o Epidemic em seu computador:

- Escolha, no visualizador de patições do Einstaller, uma partição  formatada e vazia para o sistema (partição root);

- Digite as senhas que serão usadas pelo usuário (epidemic) e pelo administrador (root);

- Clique em instalar.

pendrive.pngPen drive

Para criar um live pen drive do Epidemic:

-  Marque a opção Live pen drive no menu Configurações;

- Escolha, no visualizador de patições do Einstaller, uma partição  formatada e vazia para o sistema (partição root);

- Clique em instalar.

options.png Opções

1 – Partição home
Permite escolher uma partição separada para armazenar dados (partição home). Isto é muito útil, pois se for preciso reinstalar o Epidemic, os dados da partição home serão preservados.

- Para escolher uma partição home separada, basta selecioná-la no visualizador de partições do Einstaller.

2 – Salvar configurações atuais
Permite salvar as alterações feitas no Epidemic antes do início da instalação.

- Para slavar as alterações, marque a opção Salvar mudanças no menu Configurações.

3 – Alterar o nome do usuário
Permite mudar o nome da conta de usuário que será criada. Por padrão o Einstaller, além da conta do administrador do sistema (root), cria também uma conta de usuário comum ( epidemic).

- Para mudar o nome da conta de usuário, altere o nome epidemic na caixa de edição do Einstaller.

4 – Alterar o nome do computador
Permite mudar o nome padrão do computador (ebox). Esta opção é muito útil quando o computador faz parte de uma rede.

- Para mudar o nome do computador, altere o nome ebox na caixa de edição do Einstaller.

5 – Instalação do GRUB
Permite escolher se o GRUB (GRand Unified Bootloader) vai ser instalado na MBR (Master Boot Record) ou na primeira trilha da partição root. Por padrão, o Einstaller intala o GRUB tanto na primeira trilha da partição root quanto na MBR, pois se não houver um gerenciador de boot na MBR, o sistema não poderá ser inicializado.

Mas, se você já possui um gerenciador de boot instalado na MBR, pode optar por instalar o GRUB apenas na primeira trilha da partição root. Neste caso, entretanto, você terá que criar, manualmente, uma entrada para o Epidemic no gerenciador de boot existente.

- Para instalar o GRUB apenas na na primeira trilha da partição root,  desmarque a opção Instalar GRUB na MBR no menu Configurações.

6 – Pontos de montagem
Se você é um expert em linux, pode querer escolher outros pontos de montagem além do root e home, para aumentar a segurança do sistema ou para incrementar sua praticidade.

- Para ter acesso a outros pontos de montagem, marque a opção Expert no menu Configurações.

Caso seja preciso criar uma partição para a instação do sistema, o Einstaller conta com a ajuda de um particionador gráfico, que pode ser lançado, clicando-se no botão Gparted.

Tecnicamente o Epidemic 3.0 pode ser instalado em uma única partição com pelo menos 5 GB de espaço livre, mas é extremamente recomendável a criação de três partições, uma para a instalação do sistema, uma para armazenar os dados dos usuários e outra com no mínimo 1,5 vezes a quantidade de memória RAM disponível no sistema, que será usada como partição de troca de dados (swap).

Quanto aos sistemas de arquivos, para as duas primeiras partições é recomendada a formatação em ext4, já a terceira partição deve ser, obrigatoriamente, formatada como linux-swap

Clicando em Instalar, o usuário poderá acompanhar por uma barra de progresso o status da instalação. Após alguns minutos, a instalação será concluída e o sistema já estará pronto para ser usado, sem que para isto seja necessária qualquer outra intervenção do usuário.

AVISO: Embora o sistema de arquivos ext4 esteja disponível no Gparted, ele não é suportado pelo Epidemic e não deve ser usado, sob pena de, após a instalação, o sistema não conseguir inicializar.

Instalação do Epidemic 2.1

Nas versões anteriores a 3.0 do Epidemic, o sueu instalador se chamava Epidemic-Installer

epdinstaller.jpg

Para instalar o Epidemic, usando o Epidemic-Installer, o usuário só precisa  selecionar uma partição vazia para o sistema (partição root), digitar as senhas do administrador (root) e do usuário default (epidemic) e clicar em instalar.

Opcionalmente, pode ser escolhida uma partição separada para dados (partição home), o que facilita muito a manutenção do sistema, pois em uma eventual reinstalação, os dados da partição home serão preservados.

Também é possivel escolher se o GRUB (Gerenciador de boot do Epidemic) será instalado na MBR (recomendado) ou apenas na partição root. Neste último caso, entretanto, o usuário terá que adicionar, manualmente, uma entrada para o Epidemic em seu gerenciador de boot.

Caso seja preciso criar uma partição para a instação do sistema, o Epidemic-Installer conta com um particionador gráfico, o GPARTED, que pode ser lançado, clicando-se no botão Particionador.

Tecnicamente o Epidemic 2.1 pode ser instalado em uma única partição com pelo menos 3 GB de espaço livre, mas é extremamente recomendável a criação de três partições: uma para a instalação do sistema, uma para armazenar os dados dos usuários e outra com no mínimo 1,5 vezes a quantidade de memória RAM disponível no sistema e no máximo 1 GB, que será usada pelo Epidemic como partição de troca de dados (swap). Quanto aos sistemas de arquivos, para as duas primeiras partições é recomendada a formatação em ext4, já a terceira partição deve ser, obrigatoriamente, formatada como linu-swap.

Clicando em Instalar, o usuário poderá acompanhar por uma barra de progresso o status da instalação. Após alguns minutos, pouco mais de cinco minutos, em um Athlon 2800+ com 512 MB de memória RAM, a instalação será concluída e o sistema já estará pronto para ser usado, sem que para isto seja necessária qualquer outra intervenção do usuário.